At 2.45 – Vendiam e Repartiam

Eu tenho que concordar com quem escreveu estas palavras, e as escuto com certa alegria, como protestante me assusto com os discursos repetidos de ofertantes e dizimistas que afirmam que, por eles darem certa quantia, suas vidas prosperam.
Porque me espanto? Muitas destas mesmas pessoas passam ao lado de irmãos na fé mal vestidos, ou necessitados e não expressam a mínima compaixão.
Isso me causa reflexão, que prosperidade é essa que fecha o coração?
Que motivação é esta?
Escuto que é dando que se recebe, e olho para a bíblia e leio que “mais bem aventurada coisa é dar do que receber”.
Vejo Jesus dizendo que aquele que tem duas túnicas que reparta com aquele que não tem.
Tenho me calado ante a isso, não quero falar mal da Igreja e já acabo falando, então, que este tipo de pensamento se volte para mim mesma. Longe de mim entender que não se deve contribuir com os “templos”.
Sobretudo que a essência não seja perdida. O amor de Deus é a essência, tudo deve ser feito com esta motivação. Que minha motivação com isto seja o amor ao Evangelho, que tem tanta beleza.
“Da’at”, “conhecimento”. Deus não é contrário ao conhecimento. Lemos que devemos prosseguir em conhecer. Todos que se dizem cristãos, católicos ou protestantes, precisam buscar o conhecimento das escrituras para não sermos levados pelos ventos de doutrinas humanas.
Sabemos que nos dias atuais, devido a pureza da igreja primitiva já ter se perdido numa totalidade dos seguidores de Cristo, não encontramos mais facilidade para vivermos como no início, com um sistema quase socialista onde todos dividiam tudo entre si e tinham tudo em comum.
Sabemos também que todos divergimos teologicamente, eu mesma sou aversa a tal teologia da prosperidade, penso que se oferta e dizimo fosse prerrogativa de benção divina, todas as mansões do planeta teriam que ser de cristãos dizimistas, e muitas vezes é de pessoas corruptas que mais estão para arrancar dinheiro alheio do que doar para instituições.

Que possamos estudar sobre dízimos e ofertas e também sobre nosso papel no mundo.
Que possamos perguntar ao Espírito Santo a melhor forma de não nos afastarmos mais, todos os cristãos, do que já temos nos afastado, do mais puro e simples evangelho.
Comunhão. Tudo em comum. Paz. Ajudarmos uns aos outros, nos preocuparmos mais uns com os outros. Respeitarmos até mesmo nossas diferenças teológicas. É difícil, sabemos disto. O amor é um ideal quase imaginário na nossa realidade, mas se cada um tentar, fizer um esforço.

Será que Deus precisa nos dizer que se tentarmos amar ele vai nos abençoar financeiramente para começarmos?

O que o Mestre Jesus faria? O que ele fazia?

fronew

“Vendiam as suas propriedades e outras coisas e dividiam o dinheiro com todos, de acordo com a necessidade de cada um”(At 2.45 NTLHE)
o Mestre
Para uma igreja que entendeu o evangelho, vivia junto e tinha tudo em comum; seria natural falar que as pessoas se auxiliassem de uma maneira como descrita no verso! Uma igreja que se apoiava e socorriam-se mutuamente – só o poder e graça de Deus são capazes disso.
Mas se isso foi possível na igreja primitiva; porque não acontece isso hoje? Será que o evangelho ou o Espírito Santo mudou a maneira de tocar e convencer as pessoas, ou as pessoas tornaram insensíveis a esse convencimento?
Acredito mais na frieza do ser humano, porque a Bíblia fala que Jesus é o mesmo ontem hoje e sempre será. (Hb 13.8) Não foi Jesus que mudou; e sim as pessoas. Preocupamos-nos mais com um cachorro do que com uma…

View original post 190 more words

About rikaferreira

Carioca, 34 anos, blogueira, chocólatra, amo café, adoro comida simples, tentando ser o mais kosher ou vegana possível. Amo animais e natureza. Cristã. Filosofia é um prazer, assim como qualquer leitura. Sou crítica, sou curiosa. Não tenho time. Não curto rótulos. Não sigo partido político. Centro-direita, as vezes centro-esquerda. Gosto muito de conhecer histórias de vida e admirar talentos. Amo música, prefiro Clássica, Bossa Nova, Jazz, Blues, Choro, Flamenco. E não sou rica, só rica de alegria, de experiências e da Graça de Deus.
This entry was posted in Cristianismo, Reblogados and tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.

2 Responses to At 2.45 – Vendiam e Repartiam

  1. Adorei os pontos. Gosto quando me fazem pensar. Valeu

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s